Equilíbrio do Ser: Quem está no comando da sua mente?

Publicado por :Carla Letícia - carla@adororevista.com.br
27/3/2019

Por Renilson Freitas

Você já teve a sensação de que, em alguns momentos, não estava no controle das suas ações? Por exemplo, quando alguém lhe disse algo que ativou um sentimento de raiva e, após reagir, você percebe que não agiu como gostaria. Um outro exemplo é quando você precisa resolver algo e a mente lhe enche de distrações, e no fim do dia você percebe que não produziu nada. Quem estava controlando as suas ações?

O fato é que muitos de nós têm pouco (ou quase nada) controle dos processos mentais. A maioria de nós ainda passa pela vida como um barco à deriva seguindo o fluxo sem ninguém ao leme e sem ponto de chegada. Essa falta de consciência geralmente é uma escolha inconsciente que muitas vezes vem do medo de assumir a responsabilidade pelas próprias escolhas. Mas observe, apesar de aparentemente não fazer escolhas por medo da responsabilidade, isso em si já é uma escolha.

Quando resolvemos não assumir as rédeas da nossa jornada o ego o faz por nós. Ele começa resolver o que quer e do seu jeito. O problema é que a nossa mente tem sua compreensão limitada a este universo que experienciamos. Ela não consegue ver além do óbvio e tende a fazer escolhas a partir de uma visão baseada nas suas poucas, e muitas vezes deturpadas, experiências de vida.

(Foto: Reprodução/Internet)

 

Quem deveria estar no comando de tudo é o nosso ser superior (espírito para alguns). Esse é nosso ser verdadeiro que possui a sabedoria de suas experiências e as informações de toda a sua ancestralidade e de todo o universo. Nosso espírito tem consciência do seu propósito e sabe os caminhos que deve percorrer para atingi-lo, mas muitos de nós perdem temporariamente a conexão com suas essências passando a acreditar que são o próprio ego.

Quer ter uma ideia de como isso funciona? Ao chegar em casa depois de sua rotina diária, sente e comece a observar seus pensamentos por alguns minutos. Observe que tipo de pensamentos se apresentam e como você se relaciona com eles. Depois faça uma retrospectiva do seu dia. Pense também sobre as ações que você realizou. Quais delas estavam de acordo com a sua melhor versão de si? Com essa prática você vai perceber se seus pensamentos e ações estão alinhados com o ser que você deseja ser.

A presença de espírito é um estado evolutivo que adquirimos com a prática amorosa da auto-observação. É a partir da aceitação das nossas limitações, da nossa sombra, que começamos a não mais nos incomodarmos com a nossa personalidade e conseguimos permanecer mais em nós mesmos. Com a prática que sugeri alguns perceberam um incômodo ao permanecer em silencio na postura de observador. Esse incômodo vem da não aceitação de si mesmo. Mas é possível acolher-se.

O ego assume o controle quando não nos amamos o suficiente para permanecermos em nós. Sustentar a presença é um ato de amor próprio. Um dos caminhos para acessar essa consciência é a meditação. À propósito, às vezes vou parecer um disco arranhado, pois a meditação será constantemente citada como um caminho de cura pelo simples fato de ser simples e não custar nada.

Portanto observe-se. Abandone o medo de ser quem você realmente é. Com o tempo o medo vai dar lugar ao amor e você não estará mais à deriva na experiência humana, pois sua luz o conduzirá em meio à escuridão.

Amor e luz!