Colheita de soja do Oeste da Bahia é finalizada nos mais de 1,98 milhão de ha

A colheita da soja no Oeste da Bahia foi concluída na última semana, destacando a capacidade de resiliência dos produtores locais frente aos desafios climáticos impostos pelo fenômeno El Niño. A operação agrícola cobriu uma impressionante área de 1,98 milhão de hectares, resultando em uma produtividade média final de 63 sacas por hectare. Este resultado é um testemunho do esforço e dedicação dos agricultores, que, apesar das adversidades climáticas e da pressão de pragas e doenças no final do ciclo, conseguiram manter um desempenho regular.

Os dados finais da colheita foram validados pelo Conselho Técnico da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) durante sua quarta reunião. Embora as áreas remanescentes apresentassem um desempenho abaixo do esperado, a conclusão da colheita marcou um importante avanço para a região. As últimas áreas a serem colhidas, localizadas principalmente nos municípios de Formosa do Rio Preto, Correntina e Jaborandi, enfrentaram pequenas interrupções devido a pancadas de chuva, mas o ritmo da operação manteve-se constante.

Com a colheita da soja concluída, os produtores já estão se preparando para o plantio de outras culturas, como milheto, sorgo e feijão, conforme as necessidades agronômicas de cada área. Esta rotação de culturas é fundamental para a saúde do solo e a sustentabilidade agrícola da região. Além disso, é crucial que os agricultores se atentem ao manejo e à destruição das tigueras para cumprir a legislação do vazio sanitário da soja, essencial para evitar a proliferação de pragas e doenças na próxima safra.

A safra 2023/24 consolidou a posição do Oeste da Bahia como uma das maiores regiões produtoras de grãos do Brasil, mesmo enfrentando adversidades. A expectativa da Aiba é que os dados finais de produtividade, incluindo as médias regionais de cada microrregião produtiva, sejam divulgados até a primeira quinzena de maio. Até o momento, a região já contabiliza a colheita de 1,85 milhão de hectares de soja, com uma previsão de que as médias de rendimento se mantenham entre 60 a 63 sacas por hectare.

Paralelamente à finalização da colheita de soja, a colheita de milho na mesma região está em estágio inicial, com cerca de 23 mil hectares colhidos, representando pouco menos de 20% do total previsto. Assim como a soja, a colheita do milho também está sujeita a fatores climáticos, que podem influenciar o andamento e os resultados finais.

A safra 2023/2024 de soja na Bahia deve ser encerrada com um aumento de 6,5% na área plantada, alcançando 1,98 milhão de hectares. Em contraste, a área reservada para o cultivo de milho diminuiu 38%, marcando 135 mil hectares cultivados, de acordo com o último levantamento da Aiba. Este ajuste reflete a dinâmica do mercado e a adaptação dos produtores às condições climáticas e de demanda.

A conclusão da colheita de soja no Oeste da Bahia simboliza a superação de desafios e a adaptação dos agricultores da região. A capacidade de enfrentar adversidades climáticas e manter a produtividade destaca o Oeste da Bahia como um polo agrícola vital para o Brasil. Com a transição para novas culturas e a continuidade das atividades agrícolas, a região se prepara para mais um ciclo produtivo, reafirmando seu papel essencial na agricultura brasileira.

Informações de Compre Rural
Foto: Freepik

  • Compartilhe: