Família real britânica divulga primeiro quadro oficial do Rei Charles III

O Palácio de Buckingham divulgou nesta semana a primeira pintura oficial do rei Charles III.

O quadro, assinado pelo artista Jonathan Yeo, um dos mais reconhecidos do Reino Unido atualmente, é o primeiro desde a coroação do monarca, há quase um ano.

A obra, que ficará em um saguão do Palácio de Buckingham, foi feita em tons de vermelho e tem uma borboleta ao lado do braço direito de Charles III, que, segundo o artista, simboliza a evolução do rei ao longo dos últimos anos.

Yeo, que já retratou outros membros da realeza, além de celebridades de Hollywood, disse que começou a obra quando Charles ainda era príncipe.

“Tal como a borboleta que pintei pairando sobre o seu ombro, este retrato evoluiu à medida que seu papel na nossa vida pública se transformou”, disse.

A divulgação do quadro, feita pelo próprio rei Charles III em uma cerimônia em Londres, acontece no momento em que o monarca retomou a agenda de eventos públicos após uma pausa de cerca de dois meses por conta do tratamento para um câncer diagnosticado no início do ano.

Na segunda-feira (14), o rei Charles III entregou ao príncipe William, seu filho mais velho e herdeiro do trono, o cargo de comandante da Força Aérea do Reino Unido — no país europeu, o rei também exerce a função de chefe de Estado e das Forças Armadas.

Retorno às atividades públicas

No fim de abril, o rei Charles III retomou sua agenda de compromissos públicos, paralisada por cerca de dois meses para o tratamento ao que ainda é submetido.

O monarca vinha mantendo apenas encontros privados e despachos oficiais desde o início de fevereiro, quando o Palácio de Buckingham anunciou que médicos detectaram um tipo de câncer — ainda não divulgado — no rei após ele ser submetido a uma cirurgia de próstata.

Seus médicos afirmaram ter incentivado que o monarca reabrisse sua agenda pública após o “progresso” em seu tratamento. O Palácio de Buckingham disse ainda não saber até quando irá o tratamento do monarca.

Informações do G1
Foto: Aaron Chown/AFP

  • Compartilhe: