Ressonância revela 1ª imagem do cérebro humano com alta precisão

A Comissão de Energia Atômica da França (CEA), compartilhou, na terça-feira (2), imagens inéditas de alta precisão do cérebro humano, realizadas através da máquina de ressonância “mais poderosa do mundo”. A descoberta pode ser importante para detectar doenças neurodegenerativas como o Alzheimer e Parkinson.

As novas imagens são fruto de mais de 20 anos de pesquisa e desenvolvimento sobre o scanner Iseult, atualmente considerado como o aparelho de ressonância magnética mais poderoso do mundo, possuindo uma intensidade de campo magnético de 11,7 teslas, maior do que aparelhos normalmente utilizados em hospitais, que chegam no máximo a três teslas.

O Iseult foi capaz de adquirir as imagens do cérebro humano em apenas 4 minutos. Em outros aparelhos, as imagens na mesma qualidade seriam detectadas depois de horas e não seriam realistas, pois, segundo a CEA, os pacientes não se sentiriam confortáveis ​​e qualquer movimento ‘desfocaria’ a imagem”.

O objetivo da nova máquina é estudar cérebros humanos saudáveis ​​e doentes utilizando a alta resolução como apoio, que permitirá descobrir novos detalhes relacionados à anatomia, conexões e atividade do cérebro humano.

Detectando doenças neurodegenerativas

A nova descoberta terá impacto na pesquisa médica. Segundo a CEA, as imagens de alta precisão apoiarão o diagnóstico e os cuidados de saúde para doenças neurodegenerativas, como Alzheimer e Parkinson.

Além disso, também facilitará a detecção elementos químicos que são difíceis de capturar em campos magnéticos inferiores ao Iseult a fim de avaliar com precisão sua eficácia no cérebro, como o lítio, composto presente em medicamentos usados para tratar transtornos bipolares.

Informações da CNN
Fotos: Divulgação/ Comissão de Energia Atômica da França

  • Compartilhe: