SAIU NA ADORO: Il Sordo: Sabor e inclusão

Empreendedorismo

@ilsordogelato

Texto: Simone Regina

Doce, gelado, saboroso e cremoso, como um verdadeiro gelato deve ser. Adicione a este sabor um ingrediente especial –  inclusão – e seguramente terá um espaço de sucesso. É o caso da il Sordo, que existe há cerca de 8 anos em Aracajú e recentemente inaugurou mais uma loja em Salvador.

A marca é a primeira a levar para a cidade o conceito de inclusão e acolhimento. Inspirado em sua experiência pessoal e na paixão pela Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), Breno Nunes de Oliveira, um empreendedor aracajuano nascido em 1993, enfrentou desafios significativos no mercado de trabalho devido à sua surdez profunda.

Ao encontrar barreiras ao buscar emprego, ele decidiu criar sua própria oportunidade inaugurando a il Sordo Gelato, uma gelateria com uma missão inovadora de inclusão e diversidade. “Eu estava trabalhando como professor de Libras no SENAC e fui demitido devido a cortes de verba. Tentei procurar emprego e vi como era difícil. As empresas nem marcavam entrevistas quando descobriam que eu sou surdo. Com a ajuda dos meus pais, criamos a marca il Sordo (usando a palavra para surdo em italiano) e começamos um negócio bem pequeno, eu mesmo fazia e vendia o gelato e as paletas”, compartilha Breno.

O empresário conta que o sucesso da il Sordo não reside apenas em seus gelatos de alta qualidade, mas também no compromisso com a inclusão. A maioria dos funcionários da empresa é surda, e eles conseguem atender os clientes com uma maestria que tem recebido elogios contínuos. “A il Sordo é mais do que uma gelateria para mim. É um espaço de possibilidade! De possibilidade de uma pessoa surda ser inserida no mercado de trabalho. De mudança de pensamento. De aprendizado. A il Sordo mostra para o mundo que um ambiente inclusivo é possível, e mais que possível, que dá certo!”, expressou Breno.

As lojas da il Sordo oferecem um ambiente acolhedor, com recursos visuais e estratégias de comunicação inovadoras. “Estimulamos todas as formas de comunicação. Tem, por exemplo, um quadro branco e pincéis onde as pessoas escrevem e as crianças adoram desenhar. Também temos TVs que passam aulinhas de LIBRAS e os menus são bastante visuais porque os clientes podem apontar para pedir qualquer coisa. O que a gente não faz é atender telefone por voz, mas a comunicação por WhatsApp é tranquila”, conta Breno.

O empresário ressalta que existe a preocupação de um cardápio inclusivo. Além do seu carro-chefe, o gelato, a sorveteria oferece uma variedade de opções inclusivas, atendendo clientes com diferentes necessidades dietéticas. Então possuem produtos zero sacarose para pessoas que não podem consumir açúcar de cana; produtos sem leite ou derivados, que atendem pessoas com intolerância à lactose; e produtos veganos. “Nosso principal produto é o gelato. Seguimos as técnicas italianas de produção, e usamos muitos insumos importados, além de maquinário italiano. Mas também fazemos muito sorbetto, que são feitos de frutas frescas e à base de água, então são bem saudáveis, leves e refrescantes. Além disso, fazemos um pouco da confeitaria italiana de semifreddo, e até os biscoitos franceses chamados macaron, além de um ótimo café expresso”, afirma Breno.

 

Com uma visão de futuro ambiciosa, a il Sordo está se expandindo para além das fronteiras de Aracaju e Salvador, levando consigo uma mensagem poderosa de inclusão e aceitação. Seus esforços têm sido reconhecidos em eventos de renome, incluindo o CONARH e o programa Shark Tank Brasil, solidificando o impacto inspirador de Breno na luta pela inclusão. “Aos poucos o negócio está crescendo. Um colega surdo de Salvador, o Rafael, decidiu levar o negócio para Salvador e combinamos um formato de franquia. Então, na il Sordo temos surdos proprietários, surdos investidores, surdos gerentes e no atendimento. Acho que é a única empresa no mundo que tem surdos em todas as funções”, finaliza Breno.

 

Fotos: Islaine Barbosa e Laura Queiroz

  • Compartilhe: