LEM: Mais três instituições sociais de LEM comemoram entrega de projetos financiados pelo Fundesis

Para os participantes das instituições Igreja Missionária Unida do Santa Cruz, do Projeto Meninos do Nosso Brasil e da Associação Beneficente Mão Amiga, sediadas em Luís Eduardo Magalhães, a quarta-feira 20, foi um dia diferente, repleto de alegria e gratidão aos produtores rurais do Oeste da Bahia, que por meio dos recursos aplicados no Fundo para o Desenvolvimento Integrado e Sustentável da Bahia (Fundesis) e gerido pelo Instituto Aiba, entregaram importantes obras.

A primeira entrega pelo Fundesis, durante a manhã, foi realizada na Igreja Missionária Unida do Santa Cruz, onde por meio do projeto Escola de Artes Reobote, foi possível a construção de uma sala, manutenção de salas antigas e aquisição de aparelho de ar-condicionado. Essa é a primeira vez que a instituição concorreu ao projeto que atende uma média de 150 crianças e adultos. Alunos e professores apresentaram amostras de balé, street dance, poesia e jiu jitsu, algumas das modalidades ofertadas na escola. “São muitos os pais que nos relatam a satisfação de terem seus filhos participando conosco das aulas de artes. Nossa palavra é gratidão aos produtores rurais e ao Fundesis que é referência em todo o Oeste da Bahia”, disse a coordenadora da instituição Marildes Brito.

Outra conquista foi comemorada na Associação Meninos do Nosso Brasil, entre as mais de 100 crianças atendidas que a partir de agora dispõem de instalações apropriadas para o desenvolvimento das atividades. “Em 2019 conseguimos o terreno da sede, mas não tínhamos recursos, então conhecemos o Fundesis que nos deu um impulso maior, e hoje temos a alegria de inaugurar essa estrutura. Graças a Deus, existe o Fundesis”, afirma o presidente do projeto, Nilto César.

E para concluir a programação, à tarde, foi a vez da Associação Beneficente Cristã Mão Amiga celebrar a entrega da obra do projeto Ensinando para transformar vidas: complementação da construção do galpão. A associação funciona desde 2018 e tem um público de mais de 100 crianças e adolescentes. “Chegamos na Bahia em 1986 e estamos felizes pelo que construímos. Hoje a Mão Amiga tem muitos colaboradores e parceiros, como o Fundesis e a Aiba. Nosso sentimento é de gratidão em ver o trabalho se solidificando e isso oportuniza mudanças para as crianças”, revela a coordenadora da instituição, Rose Veras.

“Estamos felizes e satisfeitos por ter conseguido inaugurar mais três projetos hoje, financiados com recursos do Fundesis, totalizando mais de 300 pessoas beneficiadas com este investimento do produtor rural, que tem transformado vidas e contribuído com responsabilidade social em todo o Oeste da Bahia”, concluiu o presidente da Aiba, Odacil Ranzi. Também prestigiaram as inaugurações, o diretor financeiro da Aiba, Hélio Hopp, a coordenadora do Fundesis, Aléssia Oliveira e o auxiliar de negócios do Banco do Nordeste, Herbert Souza.

Informações e Fotos: Ascom Aiba

  • Compartilhe: