ENTRETÊ: Caetano Veloso processa marca por uso indevido de sua imagem

O cantor Caetano Veloso entrou com um processo indenizatório contra a Osklen e seu fundador, Oskar Metsavaht, em razão do uso não autorizado da imagem do artista e dos elementos culturais do movimento Tropicália na nova coleção da marca. A informação foi publicada pelo colunista Matheus Leitão, na Revista Veja. O artista nunca autorizou o uso de sua imagem ou de sua obra para campanhas publicitárias.

Caetano relata que foi surpreendido pela campanha da marca utilizando elementos de um dos principais símbolos de sua criação artística. A coleção ainda apresenta imagens do cantor no show de comemoração de 50 anos do lançamento do disco Transa.

Os advogados de Caetano apresentaram a ação na última sexta-feira (1), contra a campanha da nova coleção Verão 2024, intitulada “Brazilian Soul”. “Usaram a imagem do autor e do icônico movimento criado por ele para lançar e impulsionar as vendas de uma coleção de roupas com sua marca e, com isso, obter vantagens indevidas, locupletando-se ilicitamente de forma notoriamente parasitária”, dizem os advogados do artista.

De cara, Caetano pede liminar para que a Osklen seja obrigada a retirar de circulação produtos que remetam ao músico e ao Tropicalismo. Da mesma forma, outra liminar cobra a retirada de publicações que relacionem o artista e o movimento à marca de roupas. Por fim, os advogados solicitam danos morais de R$ 300 mil, a serem pagos pela Osklen e por Oskar Metsavaht, além de danos materiais da ordem de R$ 1 milhão. O caso está na 29ª Vara Cível da Comarca do Rio de Janeiro.

Informações do Alô Alô Bahia
Foto: Reprodução/Facebook

  • Compartilhe: