BRASIL: Rótulo brasileiro é vencedor do ‘Oscar’ dos vinhos

Já faz algumas safras que o vinho brasileiro passou a assumir posição de destaque no cenário internacional. A prova são os pódios das premiações de maior prestígio do mundo, que cada vez mais contam com rótulos de brasileiros de alta qualidade.

Localizada na Serra da Mantiqueira, região montanhosa que abrange São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, a vinícola Ferreira conquistou recentemente uma das honrarias mais cobiçadas do mundo do vinho: a medalha de ouro do prêmio Decanter World Wine Awards (DWWA) de Londres.

Ao todo, 236 especialistas de 57 países avaliaram 18.250 rótulos, e os vinhos brasileiros faturaram 105 medalhas, sendo duas de ouro, 27 de Prata e 76 de Bronze.

Criado pela maior revista de vinhos do mundo, a Decanter, que circula mensalmente em cerca de 90 países, o prêmio Decanter existe há 20 anos e se consolidou como uma espécie de “Oscar dos Vinhos” entre os produtores da bebida.

Na premiação desse ano, a vinícola Ferreira conseguiu pela primeira vez a medalha de ouro. O rótulo premiado foi vinho tinto seco Piquant Soléil safra 2022, produzido com 100% de uvas Syrah, que levou 95 pontos na rigorosa avaliação dos jurados do Decanter.

Na vigésima edição do Decanter, apenas duas vinícolas brasileiras conquistaram a disputada medalha de ouro. A Ametié, da Serra Gaúcha, e a Ferreira, que foi fundada na Serra da Mantiqueira há 13 anos.

Além do ouro com o Piquant Soléil, a vinícola Ferreira também foi contemplada com 3 medalhas de prata e uma de bronze com os rótulos Étoile Montante, SF Trompete, São Bernado e Éclat Léger.

O Piquant Soléil safra 2022 custa R$ 499, e pode ser encontrado no e-commerce da vinícola.

Elaborado pela prestigiada enóloga Isabela Peregrino, o Piquant Soléil traz aromas de frutas negras, sabores de especiarias e tanino acentuado no paladar.

“Nossos vinhos já vinham ganhando destaque em diversas premiações internacionais nos últimos anos. Especificamente no Decanter, conquistamos medalhas de prata em todas as edições desde 2019, com vários rótulos acima de 90 pontos”, explica Dormovil Ferreira, fundador da vinícola. “A medalha de ouro em 2023 é o reconhecimento do trabalho que estamos desenvolvendo na Mantiqueira”, diz.

A vinícola Ferreira

A vinícola Ferreira nasceu como um hobby do empresário de tecnologia Dormovil Ferreira. Em um jantar informal em 2010, um amigo sugeriu que Dormovil plantasse videiras no quintal de sua casa em Campos do Jordão, nos pés da Serra da Mantiqueira.

Sem grandes expectativas, o empresário paulista plantou os primeiros 225 pés de uvas do tipo merlot com suas próprias mãos. A primeira colheita rendeu 18 garrafas de vinho caseiro.

Hoje, a vinícola Ferreira possui 100 hectares e produz uma média anual de 10 toneladas de uvas de 15 cepas diferentes.

De 2019 a 2023, a vinícola Ferreira já produziu mais de 30 mil garrafas de vinhos premium. A vinícola acumula 26 medalhas de Ouro, Prata e Bronze em 3 concursos de renome internacional. O Decanter World Wine Awards de Londres, o Paris Wine Cup de Paris, e o Sommeliers Choices Awards de San Francisco.

Informações da Exame.
Fotos: Divulgação

  • Compartilhe: