AGRONEGÓCIO: O que é estado de emergência zoossanitária declarado pela Agricultura?

O Brasil está em estado de emergência zoosanitária por seis meses declarado pelo Ministério da Agricultura, após os primeiros casos de gripe aviária (H5N1) serem registradas no país no últim dia 15.

Até agora, oito casos foram confirmados em aves silvestres migratórias, sendo sete no Espírito Santo e um no Rio de Janeiro. Por enquanto, aves de granja não foram contaminadas. Além disso, não há diagnósticos da doença entre humanos no Brasil.

O que significa estado de emergência zoosanitária?

O estado de emergência zoossanitária é declarado sempre que há um risco de uma doença oriunda de um animal se propagar rapidamente. É uma forma de o governo se antecipar a um surto da doença;

Como o próprio nome sugere, é um estado de alerta relacionado à contaminação entre os animais. Ainda não é um alerta relacionado à saúde humana, embora as ações de prevenção sejam importantes, já que humanos podem sim contrair a doença;

Neste momento, a maior preocupação do governo brasileiro é evitar que a gripe aviária chegue nas granjas e na criação de aves para a alimentação própria;

A gripe aviária se espalha rapidamente entre os animais. Se ela se disseminar, os animais precisariam ser sacrificados, o que diminuiria a oferta de carne de frango e ovos;

Com a emergência zoossanitária, o governo consegue agilizar processos para combater a doença, como reduzir a burocracia para conseguir equipamentos.

A gripe aviária pode contaminar humanos?

Sim. Para isso, a pessoa precisa ter contato direto com as secreções e fluídos de um animal infectado com a H5N1, esteja ele vivo ou morto.

É por isso que o Ministério da Agricultura orienta para que as pessoas não peguem em aves doentes ou mortas.

Não há registros de contaminação de gripe aviária a partir do consumo de frango ou ovo, ou por manipulação da carne de um animal infectado, reforça o ministério.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que é “incomum” a doença ser transmitida de humano para humano, mas as ações de prevenção são importantes porque a circulação contínua da doença tem o potencial de gerar mutações no vírus, tornando-o mais contagioso.

Alerta da Sesab

A Secretaria da Saúda da Bahia (Sesab) divulgou nesta terça-feira (23), através do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), um alerta sobre o aumento de casos da gripe aviária H5N1.

Válidas por 180 dias, as recomendações incluem a intensificação da vigilância de epizootia em aves silvestres e domésticas e de síndrome gripal (SG) e síndrome gripal aguda grave (SRAG) em pessoas expostas a esses animais.

Entre as recomendações expostas no comunicado estão a intensificação da vigilância de epizootia em aves silvestres e domésticas e de Síndrome gripal e síndrome gripal aguda grave em pessoas expostas a esses animais.

O documento recomenda ainda a intensificação de ações de educação e mobilização social para que não sejam recolhidas as aves que forem encontradas doentes ou mortas, sendo acionado o serviço veterinário mais próximo.

Informações do IBahia.
Foto: Freepik

  • Compartilhe: