BARREIRAS: Município é o primeiro na região Oeste da Bahia a realizar testes rápidos para detectar infecção por hanseníase

O município de Barreiras é o primeiro da região Oeste da Bahia a utilizar testes rápidos para detecção de hanseníase, uma doença infectocontagiosa que é capaz de acometer os nervos periféricos, mucosas e a pele dos pacientes. Os primeiros testes foram realizados na segunda-feira (3), no Laboratório Municipal de Análises Clínicas Leonídia Ayres de Almeida, e foi acompanhado pelo coordenador Marcus Vinicius, também pela coordenadora da Vigilância Epidemiológica (Viep), Doracir Madalena e a técnica de referência do Programa de Hanseníase em Barreiras, Joseilda Bahia.

A novidade é fruto de iniciativa do Ministério da Saúde, Secretaria Estadual de Saúde e Universidades Federais. De acordo com o coordenador do Laboratório Municipal de Análises Clínicas, a Secretaria Municipal de Saúde segue critérios de procedimento, portanto, os testes rápidos serão realizados em pacientes que relatarem contato com pessoas infectadas, ou seja, que tiveram contato intradomiciliar com pacientes que testaram positivo.

“É um teste que fica pronto entre 15 a 20 minutos e o resultado com o laudo também fica pronto de maneira célere. É um teste indicado para os contactantes que serão encaminhados pelas Unidades de Saúde, não sendo utilizado para diagnóstico. O objetivo de realizar essa testagem é justamente para quebrar a cadeia de transmissão, o paciente positivado será encaminhado para sua unidade de referência para dar início ao tratamento. As pessoas que tiveram contato com o positivado, mas o resultado deu negativo, serão monitoradas por no mínimo cinco anos”, pontuou Marcus Vinicius.

Conforme a técnica de referência do Programa de Hanseníase em Barreiras, essa iniciativa fortalecerá o direcionamento à assistência primária no município, uma vez que os testes rápidos são um elemento a mais na linha de triagem da doença. “Dependendo do resultado, o paciente será encaminhado para a Atenção Primária da Família para uma avaliação clínica dermatoneurológica, sendo avaliado e acompanhado de perto, podendo refazer o teste quando necessário”, pontuou Joseilda Bahia.

Apesar de ser uma doença de pele, a hanseníase é transmitida através de gotículas que saem do nariz ou através da saliva do paciente não tratado. Em 2022, mais de 200 pacientes de Barreiras e da região Oeste fizeram acompanhamento em tratamento avançado. Atualmente, 97 pacientes fazem tratamento e acompanhamento médico no Centro de Especialidades Leonídia Ayres de Almeida e nas Unidades de Saúde da Família através do Programa de Hanseníase. Para a coordenadora da Viep, com a realização destes testes rápidos, o município poderá monitorar com perspicaz a doença, reduzindo a incidência de sequelas, deformidades e até as complicações irreversíveis.

Laboratório Municipal de Análises Clínicas Leonídia Ayres de Almeida

“Em maio de 2022, a Secretaria de Saúde promoveu uma capacitação com a participação do coordenador do Centro de Referência Nacional em Dermatologia Sanitária, professor e hansenólogo no Ministério da Saúde, Dr. Marcos Andrey Cipriani Frade. Foram mais de 48 profissionais, entre médicos, enfermeiros e fisioterapeutas, que aprenderam um pouco mais na teoria e na prática do diagnóstico e manejo clínico da hanseníase. Esse momento foi uma preparação para esse início das testagens, que iniciaram nesta semana em Barreiras. É uma nova ferramenta, que possibilitará a toda equipe médica realizar o monitoramento da doença tanto dos pacientes positivados como das pessoas que tiveram contato próximo”, ressaltou Doracir Madalena.

Informações e Fotos: Dircom/PMB

  • Compartilhe: