MERCADO: Brasileiros dominam imóveis de luxo em Portugal

Principal destino do fluxo migratório de brasileiros para a Europa, Portugal vive a história às avessas. A comunidade da ex-colônia bateu um novo recorde em junho deste ano, com 250 mil brasileiros vivendo legalmente em Portugal, segundo o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). A presença cotidiana por todo o território português é mais palpável onde a disputa pelo mercado imobiliário é acirrada. Na Avenida Liberdade, onde o metro quadrado do imóvel residencial custa 11 mil euros, os brasileiros representam 13% dos estrangeiros com imóveis na região – a maior comunidade exógena instalada no coração de Lisboa.

Os brasileiros se tornaram os principais investidores internacionais de imóveis residenciais em Portugal, mercado que movimentou 30 bilhões de euros em 2021, de acordo com a plataforma Idealista. Até 2019, os franceses lideravam com 16% do fluxo de capital externo em imóveis para moradia no país. Em 2020, os brasileiros passaram a liderar o ranking e ganharam peso como um dos principais agentes no mercado imobiliário português. Em julho de 2022, 19% dos investimentos internacionais em imóveis em Portugal saíram de bolsos brasileiros. “O mercado ainda não se recuperou nas vendas de unidades, mas já superou 2019 no montante dos investimentos”, disse Eliane Ribeiro, corretora de imóveis brasileira da RE/MAX Europa.

Entre janeiro e julho de 2022, os vistos gold concedidos a brasileiros levaram 36,3 milhões de euros de investimentos a Portugal (a autorização de residência depende da compra de um imóvel de pelo menos 500 mil euros, ou da transferência de ao menos 1,5 milhão de euros em capital ao país). No segundo trimestre deste ano, os brasileiros realizaram 12% das compras de imóveis acima de 1 milhão de euros por estrangeiros. Desde a reabertura das fronteiras, Portugal virou um hub para investidores institucionais e pessoas físicas com grandes fortunas. “Muitos clientes já tinham imóveis no país como uma estratégia de investimento e decidiram se mudar para cá, o que elevou o ticket da compra”, explicou Fabiano Penedo, diretor comercial na Global Trust. Na Rio Capital, o gosto brasileiro gerou alterações em projetos, como a transformação de todos os quartos de uma planta em suítes, conta o CEO, Alexandre Mangabeira.

Um dos grandes sucessos da empresa entre os brasileiros, o Cruz da Pedra Palace vendeu quase instantaneamente imóveis de 1,76 milhão de euros. Brasileiros dão preferência a imóveis com vista para o mar ou para o rio. De olho nessa procura, a VIC Properties escolheu a beira do Tejo em Lisboa para erguer uma das suas principais apostas para o ano: o Prata Riverside Village. Assinado pelo arquiteto Renzo Piano e com unidades de até 1,26 milhão de euros, 15% dos compradores internacionais são brasileiros, o maior público estrangeiro do projeto. Já na Athenas Advisers, que tem dois empreendimentos na região da capital, nem os imóveis de 4,3 milhões de euros espantaram os brasileiros. Pelo contrário: o número de interessados, aumentou nos últimos tempos.

Informações da Forbes.
Foto: Reprodução

  • Compartilhe: