SAIU NA ADORO – Da gestação ao nascimento: a importância do cuidado multidisciplinar da saúde de gestantes e bebês

A gravidez é um período no qual as mulheres passam por diversas mudanças que vão desde o estado de saúde, e passam pelas transformações biológicas, psicológicas e sociais. Mas é importante destacar que nesse período é fundamental o acompanhamento regular com profissionais de saúde para oferecer assistência adequada e zelar pela vida da mãe e do bebê.

O que pouca gente sabe é que esse cuidado deve ser global e envolver diversos profissionais e exames, a começar pelo pré-natal, como explica a médica Carine Sponchiado: “É preciso fazer um acompanhamento detalhado das gestações através de aconselhamento genético e ultrassonografia, com a finalidade de exercer medidas preventivas e diagnósticas para conduzir a gestação e assistir a saúde do feto, sempre visando o bem-estar do binômio materno-fetal.” A profissional atua no Instituto Sponchiado, local onde ela acrescenta que é possível fazer rastreamento de cromossomopatias, síndromes genéticas e cardiopatias através dos exames ultrassonográficos morfológicos. “Além de rastrear pré-eclâmpsia, é possível descobrir se há sinais de restrição de crescimento intrauterino, risco de parto prematuro, e fazer também o diagnóstico de malformações fetais, infecções e principalmente acompanhar o crescimento do bebê.”

Outro profissional que deverá estar presente ao longo da gestação é o dentista, que é responsável pelo pré-natal odontológico que visa garantir a saúde bucal da mulher, como alerta a dentista Marianna Bastos: “Existem diversos mitos e crenças sobre o assunto, mas é necessário destacar que o pré-natal odontológico é indicado pelo Ministério da Saúde e a gestante deve ser assistida pelo dentista durante toda a gestação.” De acordo com ela, alterações na cavidade bucal durante a gestação são comuns e podem levar a complicações sistêmicas, como risco de parto prematuro ou bebês com baixo peso ao nascer: “E não é somente isso, já existe a comprovação de que a gravidez pode exacerbar problemas bucais, como a cárie dentária e a doença periodontal”, conta.

Aliás, os cuidados odontológicos devem ser iniciados, não só na mãe, mas também na criança, desde os primeiros dias de vida para evitar complicações bucais, como chama atenção a odontopediatra, Mônica Seefeldt: “Ao contrário do que muita gente pensa, o bebê também precisa fazer a higienização correta da boca. Estudos mostram que passar gaze embebida em água filtrada não faz diferença quando se trata da incidência de cárie ou não, após o nascimento dos dentes, então deixamos essa limpeza a critério da família. Quando os primeiros dentinhos nascem, a escovação com escova de dente e pasta com flúor na quantidade ideal devem ser utilizados. Onde há dentes, há a possibilidade de desenvolvimento da cárie. Neste processo, o exemplo dos pais ajudará no condicionamento desta criança ao escovar. Além disso, é importante o controle da ingestão de açúcar e da forma de escovação correta”, completa a profissional.

Foto: Divanildo Silva

  • Compartilhe: