AGRONEGÓCIO: 7 tendências para o setor que você precisa conhecer

A oferta de novas tecnologias é grande em diversos mercados produtivos, em especial, no agronegócio. Em um piscar de olhos, surgem novidades que antes eram impensáveis por nós humanos.

Tudo para facilitar ainda mais a gestão, a fim de diminuir o tempo e o custo de produção e aumentar a produtividade e a sustentabilidade. São inúmeras possibilidades para facilitar o dia a dia do produtor no campo, que também tem se transformado, passando daquele que cuidava da terra para o empreendedor rural, que tem a administração da fazenda na palma da mão, de forma totalmente digital.

Pensando, então, nesse novo cenário do setor, conheça nove tendências tecnológicas para revolucionar o agronegócio.

1 – Smart machines

Em sintonia com o avanço da IoT, as smart machines, ou máquinas inteligentes. São uma das inovações tecnológicas no campo, que mais impactam a produtividade do setor.

Essas máquinas inteligentes são equipamentos autônomos. Que, aliás, são programados ou controlados a distância.

Isso será possível por meio do avanço da robótica, da implantação de sensores e da inteligência artificial. Entre outras tecnologias que permitirão, essa automação das máquinas

Assim, os agricultores obtêm eficiência nas operações. Assim, evita o desperdício de insumos e reduz a demanda por mão de obra.

2 – Sensores Agrícolas

Os sensores são dispositivos capazes de detectar, ler e registrar informações a respeito do solo, do clima, da plantação e do desempenho do maquinário, que podem ser rapidamente interpretadas por pessoas ou computadores.

Tais referências podem ser armazenadas em computadores remotos – para os modelos digitais – e posteriormente analisadas pelo produtor ou por programas especializados, de forma a otimizar os recursos e agregar mais precisão à produção agropecuária. Existem diversos tipos de sensores, como os pluviômetros, que medem o volume de chuvas, os térmicos, para análises das condições climáticas e para a medição de umidade.

Existem diversos modelos de sensores que têm sido usados no campo, como os térmicos, que analisam a umidade e condições climáticas, e os pluviômetros, que mensuram o volume das chuvas.

3 – Agricultura vertical

É uma técnica de cultivo que, como consta no próprio termo, consiste em verticalizar o plantio por meio de controle ambiental — monitoramento de temperatura, luz artificial, gases, umidade, fertirrigação etc), o que gera benefícios no aproveitamento de espaço do campo em comparação com o formato horizontal habitualmente conhecido nas fazendas.

Essa alternativa tem se tornado uma tendência especialmente nos grandes centros, isto é, regiões que não dispõem de grandes áreas suficientes para o plantio ou, até mesmo, para cidades que necessitam de grandes produções para suprir a população.

4 – Ag Techs

Resumidamente, Ag Techs são espécies de startups cujo foco é promover inovação no segmento do agronegócio. O fator mais característico dessas empresas é a aplicação de novas tecnologias no campo, como Inteligência Artificial e Big Data.

Essa demanda tem se popularizado devido à preocupação das organizações modernas em produzir gerando cada vez menos impactos ambientais, fator que também tem impulsionado investimentos no setor.

5 – Uso sustentável da água

Um dos recursos importantes para o desenvolvimento da lavoura, a água, tem despertado preocupação cada vez maior. Prova disso é que a instabilidade climática, como a falta de chuvas têm ameaçado o rendimento agrícola não só no Brasil, mas em todo o mundo.

Por isso, a tendência é que o agronegócio, priorize a adoção de tecnologias. Embpra, as técnicas de manejo, otimizem o uso insumo e evitem o seu desperdício.

Para ajudar nesse processo, várias startups e empresas de tecnologia. Investem no desenvolvimento de sensores, em softwares e nas ferramentas de controle.

O objetivo é que esses programas, possibilitam o uso da água de forma estratégica no campo. Por meio de alternativas como a automatização do processo de irrigação.

O uso otimizado da água na agricultura, passa a ser um tema importante para as próximas décadas. Quanto ao desafio de aumentar a produtividade agrícola.

6 – Produtos eco-friendly

A aplicação de produtos e insumos sustentáveis na cadeia de produção rural. É uma das tendências no agronegócio que chamam a atenção.

Conhecidos como eco-friendly, esses insumos contribuem com a produtividade da lavoura. Mas propiciam uma atividade agrícola com menor impacto ambiental. Que oferecem menor risco à saúde dos trabalhadores e dos consumidores.

Em geral, esses produtos são usados em um sistema agrícola feito da forma mais natural possível. Por exemplo, com adubação orgânica, conservação do solo, compostagem e adubação verde, por exemplo.

É possível encontrar vários biofertilizantes e fertilizantes naturais no mercado brasileiro. A tendência é que o uso desses produtos aumente, pois a agroindústria investe em opções eficientes para o campo. Ao mesmo tempo, ambientalmente sustentáveis.

Com foco nesse potencial de mercado, já existem inúmeras startups que estão desenvolvendo soluções para o agronegócio. A partir do conceito eco-friendly.

7 – Novos modelos de produção agrícola (carne sintética)

Além das tendências apresentadas anteriormente, outros movimentos devem ganhar força no futuro. Ao que tudo indica, a agroecologia e a agricultura biodinâmica, por exemplo, serão cada vez mais utilizadas.

Também chegou com força às casas dos consumidores as carnes sintéticas, produzidas à base de plantas. Muitas vezes, fabricadas em impressoras 3D, o que tende a influenciar todo o sistema produtivo.

Vale lembrar que todas essas alternativas ganham espaço no mercado. Porque permitem o uso sustentável dos recursos naturais. Estão em sintonia com um perfil de consumidores. Que se preocupa com o impacto ambiental, da produção dos alimentos e produtos que utilizam.

Contudo, a extensão do uso dessas alternativas ainda é um mistério. A única certeza é que somente os produtores rurais, que acompanharem as inovações no agronegócio, sobreviverão no mundo competitivo que virá pela frente.

Com informações de CroSoften, ReconBlog e FutureCom.
Foto:

  • Compartilhe: