SAIU NA ADORO: Planejamento transforma sonho de muitos homens em realidade, conheça a paternidade tardia

Texto: Louise Calegari

Há quem diga que a paternidade é uma das maiores alegrias que um homem pode ter, mas muitos acabam adiando a experiência para investir na carreira, por causa da rotina corrida ou da falta de dinheiro para arcar com os custos de uma criança. Num passado bem próximo isso até poderia ser um problema, já que o tempo só dificultava ainda mais a situação, pois com a idade, havia a mudança de prioridades e, principalmente, a do corpo.

Felizmente, hoje, a medicina é capaz de favorecer esse cenário para quem envelheceu, mas não perdeu a vontade de ser pai, como explica Fábio Vilela, médico especialista em Reprodução Humana: “O primeiro passo é fazer um planejamento para não correr riscos e nem colocar em perigo a saúde do bebê.”

O motivo é que já existem evidências de que a idade avançada do pai pode ser a causa de alguns problemas, como abortos, malformações congênitas e alterações específicas do comportamento, a exemplo do autismo e da esquizofrenia. 

Pesquisas indicam que as mutações espontâneas acumuladas no DNA do esperma, devido ao envelhecimento do homem, seriam as grandes responsáveis pelos problemas provocados nos bebês: “Por muitos anos acreditava-se que a idade avançada só prejudicava as mulheres, na relação com a gestação. Mas aos poucos, temos lido e acompanhado informações sobre a influência da idade paterna”, explica Dr. Fábio.

Dr. Fábio Vilela

CONGELAMENTO DE SÊMEN COMO FERRAMENTA DE PROGRAMAÇÃO DA PATERNIDADE

Com a evolução da ciência e de suas técnicas, hoje se tornou possível se programar para uma paternidade tardia, fazendo com que cada vez mais homens contem com o apoio da medicina reprodutiva e com a utilização da técnica do congelamento do sêmen.

Esse procedimento só pode ser realizado em uma clínica ou banco próprio para isso, e é uma técnica que também é indicada para homens que estejam passando por tratamento de quimioterapia ou vasectomia, ou ainda que irão se submeter a cirurgias que possam colocar sua capacidade reprodutiva em risco, como conta Dr. Fábio: “Não existe uma idade definida para esse tipo de alternativa. Cada caso é um caso. Se o único fator for a idade, o recomendado é que seja a partir dos 35 anos. Para os homens que praticam esportes onde há chance de afetar a fertilidade, é indicado o congelamento ainda na juventude. É o caso de praticantes de artes marciais, ciclismo e futebol, que podem causar impactos na região genital.”

Para aqueles que não tiveram esse planejamento e se veem numa situação de infertilidade, o médico garante que ainda pode haver uma saída graças à evolução da medicina reprodutiva: “É fundamental que esse homem, mesmo mais velho, investigue e tente identificar o que está causando sua infertilidade. Pode ser uma IST, pode ser um hábito nocivo de vida, pode ser outra condição que não a idade. Existem situações em que a infertilidade pode ser tratada”, complementa.

Fotos: Reprodução/Divulgação

  • Compartilhe: