Ex-pedreiro e ambulante de Salvador estampa capa da Vogue Brasil

Há um ano, em agosto de 2021, o modelo baiano Adilson Silva fazia uma vaquinha on-line para viajar para São Paulo, em busca de uma carreira consolidada no mundo da moda. Sua maior conquista até então havia sido uma vitória no Beleza Black, maior concurso de beleza negra do Norte e Nordeste. E seu maior desfile foi na passarela do Afro Fashion Day, projeto do jornal Correio.

No entanto, a vida de Santti, como é agora chamado, já está muito diferente do que ele esperava. O soteropolitano de Cajazeiras, que já teve empregos como ajudante de pedreiro, ao lado do pai, e ambulante, ao lado da mãe, estampa a capa da Vogue Brasil deste mês.

O feito é marcante. Não só pela rapidez com que foi conquistado, mas também pela pouca idade do modelo: 20 anos. Nome de destaque na moda, a baiana Adriana Lima só estreou na Vogue Brasil aos 22 anos. Já consolidado em São Paulo, Santti é agenciado pela WAY Model, de tops consagradas como Sasha Meneghel, Carol Trentini e Alessandra Ambrósio.

Adilson diz que a moda nunca foi um sonho de infância, como aqueles clássicos de ser médico, astronauta, bombeiro ou jogador de futebol. Foi algo que surgiu com o tempo e ele aprendeu a amar. E querer, querer muito.

A vontade de ser modelo, na verdade, surgiu através da irmã e uma amiga, que sempre faziam fotos nas ruas, para publicar nas redes sociais. “Eu só acompanhava elas, para dar ‘segurança’. Depois de alguns meses, eu já estava mais descontraído e fazendo fotos com elas e publicando nas redes sociais”.

Depois de tantos incentivos, decidiu pesquisar as agências e como funcionavam. Entrou em contato com a One, aqui em Salvador, onde se desenvolveu, até ficar pronto para desbravar São Paulo. Foi quando montou a vaquinha. Após uma matéria do CORREIO divulgando a página, Adilson, que acordou com quatro apoiadores e R$ 175, dormiu como Santti: o Shopping Barra resolveu bancar os custos.

Com informações do Correio.
Foto: Reprodução/ Instagram

  • Compartilhe: